O Município

História De Novo Progresso

O surgimento de Novo Progresso se deve a construção da rodovia Santarém – Cuiabá, que em 1973, rasgou e desmatou a floresta amazônica. Em 1983, já se percebia um pequeno povoado, com uma igreja e um campo de futebol. O ano de 1984 representou a mudança total na economia do lugar, com a descoberta de uma grande jazida de ouro, atraindo milhares de pessoas à localidade. Nessa época o povoado chamava-se Progresso. Surfurino Ribeiro promoveu venda de lotes, sendo que o primeiro foi vendido para Antônio Reginaldo Araújo, que ergueu um bar e restaurante, atendendo ônibus e viajantes, com alimentos e camas para dormir.

Dentre os pioneiros se destacam Otávio Onetta, comerciante e vereador da primeira legislatura; as professoras Nilda Araújo Prazeres e Doralina Ruaro. Também marcaram época Inácio de Lima e Valmor Dagostim, entre outros vários que deram seu sangue e suor por esta terra.

A comissão pró-emancipação foi criada em 1985, sendo presidente o Sr.Laurindo Blatt. O povoado foi elevado à categoria de Município, pela Lei Estadual nº 5.700, de 13 de dezembro de 1991, com território desmembrado de Itaituba e instalado em 1 de janeiro de 1993, com denominação de Novo Progresso.

O termo “Novo” foi acrescentado para diferenciá-lo de outro município da Federação com o nome de Progresso.

Geografia

Localiza-se a uma latitude 07º08’52” Sul e a uma longitude 55º22’52” Oeste, estando a uma altitude de 240 metros. Na sua emancipação, em 1993, tinha pouco mais de 5.000 habitantes. Hoje, a população estimada em 2014 foi de 25 169 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Situada as margens da rodovia BR-163, no antigo km 1085 desta rodovia, está a sede do município de Novo Progresso. Está distante 1.639 km da capital do estado.

O clima é quente e úmido (equatorial) com temperatura média anual variando de 25º a 28 °C. Apresenta pluviosidade média de 2.200 mm. As temperaturas mais elevadas ocorrem entre os meses de agosto a dezembro e o período de maior precipitação pluviométrica é entre novembro e abril.

O acesso a cidade se dá através da Rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), sendo a divisa do município com o estado de Mato Grosso a 367 km a Sul e a Norte a 79 km com o povoado de Moraes Almeida, localizado no município de Itaituba, PA.

Política

Após ser emancipado, Novo Progresso realizou sua primeira eleição em 3 de outubro de 1992.

  • 1993/1996

Prefeito: Neri Alves Prazeres.
Vice-prefeito: Genésio Segatto.

  • 1997/2000

Prefeito: Juscelino Alves Rodrigues.
Vice-prefeito: Gilberto Geraldo Garzella.

  • 2001/2004

Prefeito: Juscelino Alves Rodrigues.
Vice-prefeito: Rubem Nestor Silva.

  • 2005/2008

Prefeito: Tony Fábio Gonçalves Rodrigues
Vice-prefeito: Márcio Schelles de Lima.

  • 2009/2012

Prefeito: Madalena Hoffmann.PSDB
Vice-Prefeito: Ricardo Faccin.PMDB

O município possui 9 vereadores, e seu número de eleitores cresceu gradativamente conforme a evolução do município, que em 1992 totalizavam pouco mais de 2.740; já em 1996 estavam em torno de 4.023 e no ano de 2000 eram 7.913. Nas eleições presidenciais de 2006, passavam dos 13.495, e em 2008 calcula-se 17.383 eleitores nas 53 Seções Eleitorais da zona 91, uma média de 0,80 eleitores por habitante.

Os vereadores são:

  • Antônio Hamilton Alves – PSDB – Presidente
  • Sara Maria Royer Schineider – PSDB (Reeleita) – Vice-Presidente
  • Ubiraci Soares Silva – PT (Reeleito) – 1º Secretário
  • Sebastião Detomin Bueno – PT – 2º Secretário
  • Mauro Cesar da Silva Bresciani – PT (Reeleito)
  • Paulo de Nadai Júnior – PMDB
  • Francisco Lazarin Vieira – PMDB
  • Adécio Piran – PDT (Reeleito)
  • Vagner Lopes Cipriano – PR
  • Os partidos de grande amplitude são PSDBPTPMDBPDTPR, mas também ocorre a presença de outros partidos como PVPTBPRBPPPTdoB e PSB, que geralmente coligam com os de grande popularidade.

* 2013/2016

  • Prefeito: Osvaldo Romanholi PR
  • Vice-Prefeito: Dr Joviano

*2017/2020

  • Prefeito: Ubiraci Soares Silva – PSC
  • Vice-Prefeito: Gelson Dill

Os vereadores são:

  • Francisco Gomes de Sousa – PSC – Presidente
  • Juarez Civieiro – PSC – Vice-Presidente
  • Gilberto Luiz dos Santos – PSB – 1º Secretário
  • Samuel de Oliveira Bortolin – PSDB – 2º Secretário
  • Edemar Onetta – PMDB
  • Francisco Lazarin Vieira – PROS
  • Marconi Petrolini de Lima – PSDB
  • Antonio de Jesus Albuquerque – PDT
  • Jovenil Vargas – PPS

Economia

Uma das principais atividades econômicas é a Industria Madeireira, existindo também atividades garimpeiras, pecuária de corte e agrícola, com a expansão da nova fronteira agrícola ou, em outros termos, do arco do desmatamento. Uma das atividades econômicas de crescimento recente é a mineração em escala industrial com a vinda de multinacionais do setor, pois o subsolo é rico em ouro, chumbo e granito. A cidade tem um comércio forte graças a atividade florestal principalmente da exportação de produtos manufaturados de madeiras de lei, tais como IpêJatobá e Cumaru. A cidade abrigava pelo menos 35 grandes empresas ligadas ao setor, além de outras 20 de pequeno porte, que em certa época geravam uma soma de 4.650 empregos diretos e outros tantos indiretos.

O comércio vem se desenvolvendo rapidamente na cidade, com a vinda de grandes empresas nacionais de móveis e calçados, gerando muitos empregos, se tornando referência na região. Assim como a estrutura de serviços públicos com a construção de um novo hospital público.

No Primeiro Encontro de Produtores da Pecuária de Novo Progresso, realizado no primeiro semestre de 2014, estimava-se que a população bovina do município era de 1.500.000 (um milhão e quinhentas mil cabeças de gado), sendo quase a totalidade destinada ao abate e produção de carne e derivados. A porcentagem não destinada ao abate, são criadas por propriedades rurais familiares destinadas a subsistência dos ocupantes da terra.

Novo Progresso tem:

  • 125 Propriedades rurais;
  • 047 Hectares de área ocupada com culturas agrícolas;
  • 800 Hectares de área ocupada com plantio de arroz;
  • 350 Hectares de área ocupada com plantio de feijão;
  • 120 Hectares de área ocupada com plantio de café;
  • 777 Hectares de área ocupada com outros tipos de plantio
  • 000 Hectares de área ocupada com pastagem;
  • 500.000 Cabeças de gado;
  • 405 Cabeças de ovinos e caprinos;

Turismo

Maior queda das Cachoeiras do Rio Curuá

Vista do lado pouco explorado da Prainha

Ponte do Rio Jamanxim

Cachoeiras do Rio Curuá

Complexo de várias quedas d’água, sendo que uma delas chega a ultrapassar 80 metros de altura. Um verdadeiro espetáculo da natureza e de acesso extremamente fácil. Quem viaja a Novo Progresso saindo do estado do Mato Grosso passa por elas. Estão localizadas bem às margens da Rodovia CUIABÁ-SANTARÉM (BR-163), na Serra do Cachimbo, a 210 km da cidade. Na localidade há um hotel e um restaurante; uma pequena estrutura, mas que pode atender bem os turistas, existe hoje o interesse de um grupo empresarial suíço com o objetivo de construir um hotel de selva próximo as cachoeiras

Rio Jamanxim

O Rio Jamanxim passa bem próximo da cidade, a cerca de 4 quilômetros do centro comercial. Nessa localidade há um balneário, A Prainha, onde banhistas se divertem com as águas do rio. A utilização do balneário ocorre apenas no período da seca, entre junho e outubro, pois nos meses seguintes o rio tem seu nível aumentado, o que proporciona a não-utilização do local.

Balneário do Bambu

O Balneário tem este nome devido ao grande número de bambuzais, que antes existiam e agora são apenas três. No local encontra-se um conjunto de piscinas naturais, formadas com a construção de represas. O local é também muito conhecido como Cachoeira do Bambu. Fica a cerca de 4 quilômetros da BR-163. O Campeonato Paraense de Marcas e Turismo – Velocidade na terra ocorre no balneário; as etapas são realizadas mensalmente atraindo grande público. A estrutura é bem diversificada: além do autódromo, conta com uma quadra de Futebol de areia – Beach Soccer, uma quadra de areia para Vôlei de praia, além de um campo de futebol Society ainda não concluído e um salão para festas.

Infraestrutura e Serviços

Em termos gerais, Novo Progresso é o único centro de serviços na região, pois tanto Itaituba quanto Guarantã, municípios que ficam a quase 400 quilômetros de distância, além de diversas vilas, comunidades e distritos que ficam de certa forma isolados, buscam auxílio na localidade.

Atualmente a estrutura da cidade apresenta melhorias. Desde 2006, todos os bairros contam com sistema de distribuição de água, administrado pela empresa Águas de Novo Progresso. A coleta de lixo é feita frequentemente, mas a cidade não conta com sistema de esgoto e nem possui aterro sanitário. A pavimentação das ruas já alcança quase 15 quilômetros de ruas, mas apenas 3 quilômetros possuem sistemas de coleta de água pluvial. As ruas não pavimentadas são, em parte, cascalhadas, e são molhadas durante o período de baixa pluviosidade, para amenizar a poeira. Geralmente, na época das chuvas, as condições decaem bastante e ainda há formação de lama.

A BR-163 nos trechos entre Novo Progresso e Guarantã do Norte já recebeu em grande parte pavimentação, o que melhorou o acesso à região;

A cidade possui agências do Banco do BrasilBanco da AmazôniaBradescoBanpará e Sicredi, além de duas Casa Lotérica, que representa a Caixa Econômica Federal. Também há postos de atendimento expresso, tanto pelo Bradesco como pelo Banco do Brasil, espalhados pela cidade. Os Correios também estão presentes, assim como um escritório da Celpa e um posto de atendimento da Oi. O Fórum representa no município o Poder Judiciário e a Justiça Eleitoral. A cidade possui ainda o Cartório e outras entidades como a Receita FederalJUCEPAAdeparáSEFA e a Emater.

Serve também como ponto de ligação através dos transportes terrestres interurbanos, pois localiza-se centralizadamente, sendo servido pelas empresas interestaduais Real Norte, Satélite, Viação Ouro e Prata, Viação Medianeira além da Viação Tapajós. No Terminal Rodoviário também são encontradas empresas que seguem para comunidades e regiões de exploração minerais; as principais são Thomas Tur e Estrela da Manhã. A estrutura do aeroporto é moderada, contando com a presença da ASTA Linhas Aéreas.

Saúde

A cidade possui três hospitais: um público e dois particulares, ambos com estrutura inadequada ao tamanho da cidade. O hospital público tem 2 médicos e um laboratório. A taxa de mortalidade em partos continua alta, mas a situação está atualmente normalizada. Sabe-se que ainda faltam ambulâncias, e casos de grande gravidade são encaminhados a grandes polos sub-regionais ou regionais.

No hospital municipal, estão disponíveis 2 leitos de cirurgia geral, 14 leitos disponíveis na clínica geral, uma unidade de isolamento e 2 leitos de obstetrícia cirúrgica, totalizando 19 leitos. Na área do ambulatório, há 3 consultórios médicos, sala de curativos, sala de imunização e sala de odontologia. Tudo em péssimo estado.

Possui aparelho de ultrassom, um conjunto de equipamentos odontológicos, um aparelho de eletroestimulação e Raios-X, e por fim uma unidade móvel da Vigilância em Saúde.

Segurança

No quadro geral, a cidade é segura. O grupo de policiais militares se encontra estruturado com 3 viaturas e motos, além do destacamento ter passado recentemente por reformas, incorporando novos alojamentos, refeitório e dispensa. A Polícia Civil conta com um pequeno grupo mas possui uma viatura. A delegacia local também passou por reformas, ampliação e melhoria das celas e do ambiente de atendimento.

Educação

Possui grande número de estudantes, desde as primeiras letras até universitários. O ensino público predomina, mas não detém grande estrutura física, assim como o ensino privado. Em relação ao Ensino Superior, estão presentes apenas faculdades a distância e uma presencial, que está em processo de instalação. Nenhuma das faculdades são credenciadas pelo MEC para o ensino a distância. As pessoas formam-se como se morasse na cidade da faculdade que montou turma. A carga horária é 60 % inferior apresentada nas ementas. Instituições Faseb, Faco, Fasipe, Funeso entre outras. Algumas delas quando consultadas no e-mec nem tem o curso ofertado.

O ensino privado é composto por três instituições: Colégio Hiper Ideal, que promove desde a educação infantil até o Ensino médio, A Be Able, que agora se chama Colégio Redentor também da educação infantil até o ensino médio e a Escola Girassol, que atende somente até o Ensino Fundamental. As duas faculdades a distância particulares prestam serviços com cursos de PedagogiaCiências ContábeisTurismo e Administração de empresas. O ensino público é composto pelas seguintes instituições de ensino:

O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil também está presente na cidade, atendendo a crianças no período integral, com uma estrutura pequena, mas dentro das normas.

Ensino Infantil

  • Escola Municipal Curumim.
  • Escola Municipal Maria Doralina Ruaro.
  • Escola Municipal Lázaro Búbola.
  • Escola Municipal Dr. Cléo Bernardo.

Ensino Fundamental

  • Escola Municipal Tancredo Neves.
  • Escola Municipal Deputado João Carlos Batista.
  • Escola Municipal Waldomiro Mendes Rodrigues.
  • Escola Municipal Machado de Assis.
  • Escola Municipal Maria Ignês.
  • Escola Municipal Edelberto Oderdenge.
  • Escola Municipal Mario D’agostin.
  • Escola Municipal Dr. Cléo Bernardo.

Ensino Médio

  • Escola Estadual Waldemar Lindermayer

Comunicação

Atualmente, Novo Progresso conta com 2 jornais escritos: o Folha do Progresso e o Tribuna do Povo, com circulação regular. Também possui uma publicação bimestral da mini revista Progresso VIP, além disso, conta com uma rádio FM comunitária, duas emissoras de RTV (SBT e BAND) com programações locais e alguns sites de atualização diária, como o ProgressoVIP.com.brDiaDiaProgresso.comFolhadoProgresso.com.brDigitalNoticias.com.br entre outros. O serviço de telefonia fixa é prestado pela Telemar e a cobertura móvel é feita pela TIM e recentemente a Claro implantou seu sistema GSM. O acesso à Internet é possível apenas através de provedores wireless.

Esportes

Embora a estrutura desportiva não seja tão abrangente, Novo Progresso conta com o Ginásio Poliesportivo Jamanxim e o Estádio Simão Jatene, que juntos formam um pequeno complexo esportivo, onde são realizados campeonatos oficiais e amadores.

Mesmo não havendo grande incentivo das autoridades, a cidade já foi representada em campeonatos estaduais, na Região do Tapajós. O principal evento esportivo realizado no Município era o Campeonato Paraense de Velocidade na Terra e Marcas de Turismo, onde carros de turismo preparados e Homologados participavam do campeonato Estadual, cuja sede era em Novo Progresso, evento homologado pela FEPAUTO – Federação Paraense de Automobilismo e pela CBA – Confederação Brasileira de Automobilismo, Ocorreu por quatro anos consecutivos, com muitas disputas e campeões diferentes, sendo o campeonato e o projeto abandonado pela administração da Prefeita Madalena Hoffman deixando o público e os esportistas desiludidos.

 

Município de Novo Progresso
“NP”
Vista aérea da cidade de Novo Progresso
Bandeira
Aniversário 13 de dezembro
Fundação 21 de dezembro de 1991 (27 anos)
Emancipação 1 de janeiro de 1993 (26 anos)
   
Gentílico Novoprogressense
Prefeito (a) Ubiraci Soares Silva (Macarrão) (PSC)

(2017 – 2020)

 
Localização
Localização de Novo Progresso no Pará
07° 08′ 49″ S 55° 22′ 55″ O
Unidade federativa Pará
Mesorregião Sudoeste Paraense IBGE/2008 [1]
Microrregião Itaituba IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Itaituba ao Norte, Guarantã do Norte– MT ao Sul, Altamira ao Leste, Jacareacanga, ao Oeste.
Distância até a capital 1,194 km
Características geográficas
Área 38 162,317 km² [2]
População 25 102 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 0,66 hab./km²
Altitude 240 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,673 (Lista de municípios do Pará por IDH) – médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 425 017,86 mil IBGE/2014[5]                   
PIB per capita R$ 16 886,56 IBGE/2014[5]

 

Os Principais Atos do 1º ano da Câmara Municipal de Novo Progresso – PA de 1993

Termo de posse dos vereadores eleitos no pleito de 03 de outubro de 1992, bem como a instalação de Novo Progresso.

No dia primeiro do mês de janeiro do ano de mil novecentos e noventa e três, na sede social da juventude ESPORTE CLUBE na cidade de Novo Progresso, município criado pela lei número 5.700 de 13 de dezembro de 1991, às dezenove horas e trinta minutos, na presença da Drª Marta Inês Antunes Holanda Guimarães, juíza da 14° vara da capital do estado do Pará, presidindo a 34° zona eleitoral, sediada em Itaituba-PA, dos eleitos para cargos majoritários, senhores Neri Alves dos Prazeres e Genésio Segatto, respectivamente prefeito e vice prefeito, os vereadores Juarez Civiero (PST), Sinval Silva (PST), Lourete Lourdes Bertol da Silva (PST), Elizeu José Dahmer (PMDB), Otávio Onetta (PMDB), Jovenil Vargas (PMDB), Miguel Wachekowski (PMDB), Armando Anvessa Faccin (PMDB) e Luís Cândido do Nascimento (PMDB), na solenidade encontravam – se ainda Padre Silvério Scheneders,  vigário da paróquia local, Cabo da PM João Batista da Silva comandante do destacamento da polícia militar, João Batista Borges, presidente da associação comunitária de Novo Progresso, Orival Prazeres presidente do (PMDB), Edmilson Cohen Felipe presidente do (PDS), Dr. Mario Mattei, advogado, Sr° Eugenio Roque Rempel,  secretário da associação comunitária, tendo ainda a presença de um grande número da população progressense, que após deu-se o início da solenidade de posse dos vereadores e consequentemente a instalação do município, com o pronunciamento da Ex.ª Dra. Juíza eleitoral, passou a dar posse dos vereadores eleitos, solicitando a prestar juramento “ Prometo, no exercício do mandato que me foi conferido pelo povo deste município cumprir a constituição federal do meu país, do meu estado, a lei orgânica do município mãe de Itaituba, até que se promulgue a lei orgânica local, com lealdade, elaborando as leis que irão reger os destinos deste povo, usando a melhoria de vida de todos e o bem comum” e todos responderam sim, “ Prometo” na sequência a  Dra. Juíza declarou empossados os vereadores e devidamente instalado o município de Novo Progresso. Dando prosseguimento ao ato, a Dra. Juíza passou a presidência dos trabalhos ao vereador Otavio Onetta, o mais idoso dentre deles, e assumiu os trabalhos, procedendo a eleição da mesa diretora apresentando chapa única na qual elegeu-se para presidente Elizeu José Dahmer, 1° Secretaria- Lourete Lourdes Bertol da Silva, e 2° Secretario – Luís Cândido do Nascimento, eleito o presidente que assumiu a direção dos trabalhos, concitando o prefeito eleito e seu vice, Neri Alves dos Prazeres e Genésio Segatto, respectivamente a  prestar o compromisso nos termos seguintes “Prometo na observância das leis desempenhar leal e honestamente o mandato que me foi confiado, contribuindo objetivamente na construção de felicidade do povo de Novo Progresso, ao que retrucaram: Assim o prometo; “ empossados prefeito e vice-prefeito, passou a ter assuntos da mesa, seguindo-se manifestação da vereadora- Laurete Lourdes Bertol da Silva e do vereador Jovenil Vargas, do reverendo Padre Silvério Scheneders da paróquia Santa Luzia, do pastor Enoque Anunciação da Costa da igreja Assembleia de Deus, o prefeito recém empossado Neri Alves dos Prazeres, no que terminou os pronunciamentos dos oradores, nas dependências da sede do Juventude Esporte Clube o número do povo presente era considerável com o clima de vibração e harmonia, vivendo momento a momento cada acontecimento, e que após é entoado o hino nacional e neste clima de emoção o fechamento chave de ouro da solenidade deu-se o início do momento histórico de instalação do município de Novo Progresso.

Aos treze dias do mês de janeiro do ano de mil novecentos e noventa e três, em caráter extraordinário destinado a apreciar matérias constantes do edital de convocação extraordinária oriunda do poder executivo, reuniram-se os vereadores na sede provisória da Câmara Municipal os nobres vereadores, pela primeira vez para apreciar os projetos de leis de N°001/93, que dispõe sobre a estrutura administrativa da Prefeitura Municipal de Novo Progresso- Estado do Pará, e de outras providencias: tendo também o projeto de lei de N°002/93 dispondo sobre o quadro de pessoal da Prefeitura Municipal de Novo Progresso, bem como ao projeto de lei N°003/93 que estima a receita e fixa a despesa do município de Novo Progresso para o exercício financeiro de 1993 ambos os projetos de leis foram aprovados por unanimidade dos votos; tendo em pauta ainda a ser apreciado as resoluções de número/001/93_ que dispõe sobre a criação das comissões permanentes da Câmara Municipal de Novo Progresso. A resolução de N° 002/93, que dispõe sobre a remuneração dos vereadores para a primeira legislatura do município. Bem como a resolução de N° 003/93 que dispõe sobre as diárias dos vereadores quando participam de seminários ou a serviço da Câmara Municipal: ambas as resoluções foram aprovadas por unanimidade. Aprovando ainda nesta data os decretos legislativos de N° 001/93 _ Da remuneração do prefeito municipal e do vice-prefeito: _ e decreto legislativo N° 002/93 que trata das diárias do prefeito municipal e vice-prefeito; quando for viajar a serviço da municipalidade.

Dia quinze de fevereiro do ano de mil novecentos e noventa e três; instalou-se a primeira reunião solene da câmara municipal de Novo Progresso. Presentes encontravam-se o prefeito municipal, Neri Alves dos Prazeres, vice-prefeito –  Genésio Segatto, Cabo – João Batista da Silva, comandante da polícia militar local; Ilda Araújo dos Santos – Secretária de educação; Dr. Mário Mattei – chefe de gabinete, Ivo Garido – Secretário de administração; Edmilson Cohen Felipe – Secretário de finanças; Hilário Liva – Suplente (PST), Surfurino Ribeiro – Suplente (PMDB), Ourival Prazeres – Presidente (PMDB), Lauro Luís de Moura – (Presidente da comunidade celeste), Claudio Piran – Secretário de saúde, Elizeu José Dahmer – Presidente da câmara municipal, 1° Secretária – Laurete L. B. da Silva, 2° Secretário – Luís Candido do Nascimento;  e os vereadores, Otavio Onetta, Miguel Wachecowski, Armando Anvessa Faccin, Jovenil Vargas, Juarez Civiero e Sinval Silva; Secretário Administrativo – Eugenio Roque Rempel (Câmara municipal) ; Loureça Beatriz da Silva – Funcionária da câmara, o Sr. Amélio Carneiro Pinto – Assessor Legislativo.

19 de fevereiro de 1993; foi realizada a primeira reunião ordinária da câmara municipal de Novo Progresso;

16 de março do ano de 1993 faleceu o Sr. Otavio Onetta vitima de afogamento.

                   26 de março de 1993. A câmara municipal aprovou a resolução de 004/94 – que dispõe sobre a organização administrativa da câmara municipal de Novo Progresso: Bem como a resolução de N° 005/94 – que dispõe sobre o quadro pessoal da câmara municipal. Posse do vereador Gilberto Garzella. 

                  02 de abril de 1993. Reunião Extraordinária. A câmara municipal aprovou o projeto de lei N° 010/94 – Estatui o “ Código de Postura” do município de Novo Progresso. Aprovado o projeto de lei N° 011/93 – “ Que criou o brasão do município”.

16 de abril de 1993 – A câmara municipal aprova o projeto de lei N° 012/93 – Institui o código tributário do município de Novo Progresso.

23 de abril de 1993 – Aprovado o código de obras e edificações do município, projeto de lei N° 013/93.

1° de junho de 1993 – em sessão especial de abertura dos trabalhos para elaboração da 1° lei orgânica do município, que passou a ser constituída –  Câmara Municipal Constituinte.

Sendo aprovada a resolução – Que dispõe sobre o regimento da câmara municipal constituinte de Novo Progresso. Estabelecendo normas e providencias para o processo de elaboração da lei orgânica – Constituição do município de Novo Progresso, e criando a comissão especial de elaboração do anteprojeto da lei orgânica – Presidente Gilberto G. Garzella e Sinval Silva.

02 de julho de 93 – em caráter extraordinário destinado a apreciar a matéria vindo do poder executivo a submeter à apreciação do projeto de lei N° 014/93 – que cria o regime jurídico único do município – obtendo sua aprovação por unanimidade.

16 de agosto de 1993 – reunião da câmara municipal constituinte sendo entregue a mesa dos trabalhadores pela comissão especial de elaboração do anteprojeto da lei orgânica.

1° de setembro de 1993 – através da resolução de 013/93 a mesa diretora nomeia vereadores integrantes da primeira reunião temática da constituinte municipal – Presidente – Armando. Faccin, Relator – Luís C. do Nascimento, membro – Juarez Civiero: e da comissão temática “B” Presidente – Jovenil Vargas, relatora – Laurete L. B. da Silva, membro –  Miguel Wachecowski; A comissão “A” foi incumbida a fazer inclusões dos trabalhadores do município, da competência do município, da organização política do município e da administração municipal. A comissão “B” fazendo as conclusões de trabalhos da administração financeira da ordem econômica e social, do desenvolvimento urbano e do meio ambiente.

Dia 30 de setembro de 1993 – Através da resolução de N° 015/93 ficou constituída a comissão de sistematização da câmara municipal constituinte, Presidente – Laurete L. B. da Silva, vice-presidente – Luís C. do Nascimento, relator – Gilberto. G. Garzella, membros – Armando. Faccin e Sinval Silva, comissão responsável pela apresentação do anteprojeto da lei orgânica do município.

9 de outubro de 1993 – foi aprovado o projeto de lei N° 016/93, por unanimidade – que dispõe sobre as diretrizes orçamentarias para o exercício do ano de 1994.

20 de outubro de 1993 – a comissão de sistematização entregou a mesa dos trabalhos da câmara municipal constituinte, o projeto da lei orgânica; sendo criada ainda a comissão de redação final da lei orgânica constituída; Presidente Gilberto. G. Garzella, vice-presidente Sinval Silva, 1° relator Armando A. Faccin, 2° relator Luiz. C. Nascimento, membro Laurete. L. B. da Silva.

                   11 de novembro de 1993 – a câmara municipal constituinte teve o início da apreciação da lei orgânica, pelo plenário.

12 de novembro de 1993 – foi aprovado o projeto de lei N° 017/93, que autoriza o prefeito municipal de Novo Progresso a doar ao governo do estado do Pará, em conjunto a secretaria do estado de educação e cultura, o prédio em fase de acabamento, onde funcionará a escola de 1° grau e 2° grau, na sede municipal de Novo Progresso – PA.

Dia 19 de novembro de 1993 – a câmara municipal constituinte apreciou em 1° turno o projeto da lei orgânica do município e aprovou por unanimidade o preambulo da constituição do município com o seguinte credo:

Nós representantes do povo progressense, invocando a proteção de Deus, e inspirados nos princípios constitucionais da republica e do estado do Pará, e no ideal que asseguram a todos no âmbito de sua competência, o respeito aos direitos fundamentais da pessoa humana, a promoção da justiça, bem-estar e desenvolvimento da comunidade local. Promulgamos a seguinte lei orgânica do município de Novo Progresso – estado do Pará”.

                   02 de dezembro de 1993 – a câmara municipal constituinte reuniu-se para a votação em 2° turno do projeto da lei orgânica do município de Novo Progresso – o referido projeto da lei orgânica foi aprovado por unanimidades de votos pelos vereadores – Elizeu José Dahmer, Lourete Lourdes Bertol da Silva, Luís Candido do Nascimento, Jovenil Vargas, Gilberto Geraldo Garzella, Armando Anvessa Faccin, Miguel Wachecowski, Juarez Civiero e Sinval Silva; Após a aprovação do projeto o senhor presidente Elizeu José Dahmer encaminhou o referido a comissão de redação final, para proceder a elaboração de redação conclusiva ao projeto de lei orgânica.

07 de dezembro de 1993 – data em que a comissão de redação final fez o encaminhamento a mesa   dos trabalhadores o projeto da lei orgânica especialmente para discussão e votação final – sendo que a comissão de redação final apresentou a emenda no artigo – 66º parágrafo 3° “ o vencimento dos servidores municipais será atualizado mensalmente, nos mesmos índices da inflação, sem prejuízo de outras vantagens conforme a lei complementar federal – manifestando-se favorável à emenda os vereadores, Armando Anvessa Faccin, Gilberto G. Garzella, Jovenil Vargas, Laurete L. B. da Silva, Juarez Civiero, Miguel Wachecowski, contrario manifestou-se, o vereador Elizeu José Dahmer. Que na sequencia foi exposto o projeto da lei orgânica juntamente com a emenda em votação final, e em seguida o senhor presidente informou de que o projeto da lei orgânica estaria aprovado por unanimidade dos vereadores presentes;

10 de dezembro de 1993 –  a câmara municipal aprovou por maioria absoluta o projeto de lei N° 019/93 – que estima a receita e fixa a despesa do município de Novo Progresso; para o exercício de 1994. Obteve o voto contra a vereadora Laurete Lourdes Bertol da Silva, que se posicionou contrário alegando de que o projeto de lei, não havia sido assinado pelo excelentíssimo senhor prefeito municipal.

13 de dezembro de 1993 – data da promulgação da lei orgânica do município de Novo Progresso – PA, sendo realizado na praça da igreja matriz – católica – deste município com a presença das mais altas autoridades do município, dos diversos segmentos sociais e de grande número de populares; as dez horas e quarenta minutos deste dia o senhor Edmilson Cohen Felipe deu o início a solenidade, convidando o vereador Elizeu José Dahmer – presidente da câmara municipal a ocupar a mesa, bem como o prefeito municipal senhor Neri Alves dos Prazeres  e ao vice-prefeito Genésio Segatto, Juiz da câmara de Itaituba Mairton Marques Carneiro, reverendíssimo Dom Capistrano Francisco Hein, bispo da prelazia de Itaituba, e os vereadores Gilberto G. Garzella, Luiz. C. do Nascimento, Laurete. L. B. Silva, Jovenil Vargas, Armando A. Faccin, Juarez Civieiro, Sinval Silva, Miguel W. Composta a mesa, foi entoado o hino nacional com grande emoção, e que na sequencia em nome da câmara municipal o presidente vereador Elizeu José Dahmer fez o uso da palavra, bem como o prefeito municipal senhor Neri Alves dos Prazeres, o reverendíssimo bispo Dom Capistrano Francisco Hein,  fazendo o salmo e em seguida foram convidados os senhores vereadores a autografar três livros originais da lei orgânica do município de Novo Progresso, posteriormente o senhor presidente Elizeu José Dahmer declarou promulgada a lei orgânica do município de Novo Progresso e convidou todos os vereadores bem como o prefeito e vice-prefeito municipal a fazer o juramento desta lei; “Assumimos publicamente o comprometimento de principalmente zelar pelo seu cumprimento da lei orgânica do município de Novo Progresso-PA”; seguidamente sendo feita a entrega de título de cidadão de Novo Progresso, ao bispo Dom Capistrano F. Hein, ao juiz Mairton Marques Carneiro, Luís Fernando Sadec dos Santos – Presidente da câmara de Itaituba; e ao empresário de Itaituba Dr. Manoel Costa de Sousa;

                   Na solenidade encontrava-se ainda o padre da paroquia local Silvério Schneiders, promotor de justiça de Itaituba – Juiz Eliezer Monteiro Lopes, assessor legislativo câmara municipal de Itaituba – Israel Santos, Juiz de direito de Itaituba – Pedro Pinheiro Sotero, secretario administrativo da câmara de Novo Progresso – Eugenio Roque Rempel, assessor legislativo da câmara de Novo Progresso – Sr. Amélio Carneiro Pinto, chefe de gabinete da prefeitura municipal de Novo Progresso – Dr. Hélio Glases. No encerramento da solenidade, seguiu-se para a confraternização, ao almoço da festa de comemoração de promulgação da lei orgânica, do 1° ano de emancipação e do e do aniversário de nossa senhora Santa Luzia.

Dia 15 de dezembro de 1993 – reunião solene de encerramento da 1° legislativa da câmara municipal de Novo Progresso.

Dia 31 de dezembro de 1993 – em reunião extraordinária, a câmara municipal se reuniu-se, e aprovaram por unanimidade o projeto de lei N° 022/93 – que institui o conselho municipal de saúde e saneamento básico bem como o projeto de lei N° 023/93 – que dispõe sobre a criação do fundo municipal de saúde (FUMDES).

 

A História Viva de Novo Progresso – A saga de um pioneiro – Eugênio Roque Rempel (Geninho)

Natural de Quatro Pontes, estado do Paraná, nascido em 06 de julho 1961, Eugênio Roque Rempel é o oitavo de onze irmãos e já nasceu predestinado a vir consolidar a emancipação de Novo Progresso e a organizar sua estrutura político administrativa.

Aos seis anos de idade se alfabetizou na escola Comandante Augusto Moraes Rego, no município de Porto Mendes, estado do Paraná e ainda bem jovem participou da CAJUMAR – Câmara Júnior de Marechal Cândido Rondon e da CAJUVEL – Câmara Júnior de Cascavel, onde foi adquirindo conhecimento político e público organizacional que seriam de grande utilidade no município de Novo Progresso.

Como toda pedra preciosa, que deve ser lapidada para mostrar ainda mais seu valor, Eugênio foi aumentando seus conhecimentos e desenvolvendo seu potencial administrativo e de relação humana em outras instituições importantes do país, tais como Caixa Econômica Federal, em Chapecó, Santa Catarina e Banco Bradesco de Marechal Candido Rondon, no Paraná, onde trabalhou durante vários anos.

Já mais maduro e experiente, o agora empresário do ramo têxtil e diretor sócio da Nova Paloma Confecções em Cascavel, Paraná, Eugênio Rempel vem para o estado do Mato Grosso, na época um local inóspito e cheio de oportunidades para os que queriam trabalhar. Após um período de aproximadamente quatro meses, e tendo muito ouvido falar de um local chamado “Oitenta e Cinco” – numa alusão ao quilômetro 1085 da Cuiabá-Santarém – nosso amigo resolve vir conhecer o estado do Pará.

Chegou onde hoje é Novo Progresso no dia 03 de julho de 1987, com a intenção de trabalhar com vendas de roupas e confecções, mas não sabia que seu destino já estava traçado e que sua história pessoal se misturaria profundamente com a história do futuro município.

Geninho, como é mais conhecido, chegou aqui com mais três pessoas: seu irmão João Afonso Rempel, Sergio Moraes, que retornou pro Paraná e Alcemir Moro, o popular Pity e conta que o Progresso era um pequeno povoado, menor até mesmo que Alvorada da Amazônia. E que a população local era de aproximadamente 400 pessoas e o número de residências inferior a 100.

Quando perguntado sobre as pessoas que já moravam aqui naquela época, Geninho cita vários nomes, fazendo uso de sua boa memória, de pessoas e famílias que ajudaram a desenvolver a região.

Entre as pessoas e famílias citadas estão, Sulfurino Ribeiro, Osvaldino Santana da Silva, Orival e Dorival Prazeres, Ari Seben, as famílias Alves e Oliveira, Onetta, Osmar Antunes de Oliveira, Laurindo Blatt, Anorival Missassi, Milton Scremin, Inácio Lima, Irineu Kroessin, Francisco Fortes, Valmor Dagostin, Nelson Felix, Valdir Locatelli, Silvino Varela, Ambrosio Meurer, Erny e Ruben da Silva, Valdemar Meurer, José Prazeres Neto, Dona Neta, Genésio Segatto, Marcão Goleiro, entre tantos outros.

Em um breve relato, Geninho fala sobre como a cidade se desenvolveu e expandiu, e compara quando o aeroporto era onde hoje é a Avenida Jamanxin, e cujo enorme movimento era dado pela força do garimpo, principal economia regional na década de 80. Quando perguntado sobre as outras atividades econômicas da época, Geninho conta que a extração de madeira era praticada só para construção das casas, uma vez que quase não existiam construções de alvenaria e que a pecuária estava ainda em seus primeiros passos.

Ao descrever suas lembranças sobre o garimpo, sua voz demonstra emoção e saudade ao falar de grandes e intrépidos pilotos que trabalhavam em seus pequenos aviões que transportavam todo tipo de mercadorias, combustíveis e pessoas para os inúmeros garimpos da região, cita os pilotos Caburé, Chico, Enoque, Cargeano, Carriço, João Brabo, Baiano, Bothio, Naldo, Edimilson, Toninho, Pascoal, Padre, Cascalho, Pampam e Nonato como os corajosos que muitas vezes arriscaram suas vidas no exercício da profissão.

Cita os Garimpos Canaã, Santos Dumont, São Jorge, Coringas e Garça como grandes produtores de ouro, que gerava grandes fortunas aos que tinham a sorte do seu lado e “bamburravam”. Naqueles dias quase não havia dinheiro em espécie e o ouro circulava na localidade in natura ou fundido, servindo como meio de pagamento por todo tipo de mercadoria e serviço que você possa imaginar. Eugênio também lembra que em um determinado período houve muitos “vales”, papel promessa de pagamento que podia ser trocado posteriormente por mercadoria com o emitente do título.

Os principais comércios do povoado eram o Armazém 85, Comercial Cascavel e Casa Piran, que compravam ouro e vendiam mercadorias e implementos, na maioria das vezes trocando um pelo outro.

Eugênio lembra com saudade daqueles tempos e relata que todo mundo se conhecia e se respeitava na comunidade, e quando havia alguma necessidade, tipo acidentes ou doenças graves, as pessoas se ajudavam mutuamente realizando coletas e enviando os doentes para receberem tratamento em outros municípios.

O povoado foi crescendo, aumentando o número de moradores e foi fundada a Associação Comunitária local, da qual o nosso personagem participou e contribuiu para que a mesma se desenvolvesse.

Quando as pessoas sentiram necessidade de organizar um clube esportivo, Eugênio Rempel se fez presente e participou ativamente na constituição do estatuto dos JESC – Juventude Esporte Clube, que foi durante algum tempo o principal clube de domingo da cidade, depois vieram o Esporte Clube Planaltão e o Clube União, sempre recebendo incentivo e sendo organizado por Eugênio, que já fazia uso de seu conhecimento e experiência organizacional adquirido anteriormente.

Lecionou na Escola Tancredo Neves, compartilhando seu amplo conhecimento e experiência com os alunos do ensino fundamental durante alguns anos e paralelamente a isso foi locutor da Rádio Progresso FM, a primeira rádio do município.

Participou da Apronop – Associação do Produtores Rurais de Novo Progresso, onde prestava serviços na gestão de Anorival Missassi, Juarez Civiero e Beto Pura Bucha, na condição de secretário administrativo.

Esses foram apenas alguns dos diversos serviços prestados por esse cidadão que é um exemplo de organização, dedicação, conhecimento e capacidade de organização.

Mas sua maior contribuição para o município ainda estava por vir, e foi aqui que o destino mostrou porque trouxera Eugênio Rempel para o “Oitenta e Cinco”.

Já em 1991 a comunidade sabia que se quisesse realmente crescer e se desenvolver deveria passar a ser município, e com o início do processo de emancipação que foi encabeçado pela associação comunitária, cujo presidente era o senhor João Batista Borges, pelo Deputado Schuber e o vereador Peninha, de Itaituba, Eugênio Roque Rempel ficou responsável para realizar o censo demográfico que justificaria a criação de um novo município no estado do Pará.

Para ser desmembrado de Itaituba, o futuro Novo Progresso deveria ter mais que 5.000 habitantes. E tinha, o único problema seria localizar e registrar essas pessoas. Geninho formou uma equipe e, na maior parte do tempo a pé, fez o censo entre o Riozinho das Arraias e a divisa do Mato Grosso, última fronteira do município em direção ao Sul.

Após registrar 5104 (cinco mil cento e quatro) moradores no perímetro onde hoje é Novo Progresso, Eugênio Roque Rempel entrava definitivamente para a história da cidade, como o principal colaborador nos trabalhos pró-emancipação e o principal responsável pela existência política do município de Novo Progresso.

Novo Progresso foi oficialmente criado em 20/12/1991, data da promulgação da Lei Estadual número 5.700.

Após a posse do primeiro prefeito e da primeira legislatura, Eugênio Roque Rempel foi convidado para trabalhar na Câmara Municipal de Novo Progresso onde, em parceria com o ilustre senhor Aurélio Carneiro Pinto e com a participação dos vereadores Eliseu Dammer, Laurete Lourdes Bertol, Luiz Candido do Nascimento, Miguel Wachekosvsk, Sulfurino Ribeiro, Gilberto Geraldo Garzella, Sinval Silva, Juarez Civiero e Jovenil Vargas, elaborou a Lei Orgânica do Município e o Regimento Interno da Câmara de Vereadores.

Após todos esses serviços prestados ao município, a Câmara de Vereadores de Novo Progresso, através de seu presidente, vereadores e funcionários, presta esta homenagem como reconhecimento pela grande importância que o “Geninho” teve e ainda tem na história dessa cidade.

Hoje, Eugênio Roque Rempel é casado, pai de duas filhas e continua morando em Novo Progresso, onde continua exercendo com muita competência a função de Secretário Administrativo na Câmara Municipal Até  no dia de hoje.

 


Acessibilidade
Acessibilidade